Afinal, o que é o Tratado de Schengen?


O Tratado de Schengen é o acordo que constituiu uma zona de livre circulação de pessoas sem controles fronteiriços. Ele foi assinado em 1997 e ajuda muito a vida de quem viaja pela Europa.

Tratado de Schengen - Bélgica
Bélgica

Se está com viagem marcada para a Europa, precisa saber sobre o Tratado de Schengen. Viajar para a Europa e estar em contato com o Velho Mundo é a concretização de um sonho ou de um prazer de muitos. Uma das coisas mais atraentes do continente europeu é a facilidade de locomoção entre seus países, o que nos dá o direito de ir e vir sem muita burocracia. Tal facilidade é fruto do Tratado de Schengen, assinado em 02 outubro de 1997 visando a abertura das fronteiras e a livre circulação de pessoas entre os países participantes.

 

O que é o Tratado de Schengen

O Tratado de Schengen é o acordo que criou a zona de livre circulação sem controles fronteiriços na Europa. Ele é assim chamado por conta de uma região luxemburguesa de mesmo nome (Schengen) que, em 1995, foi palco do primeiro acordo de livre circulação que envolvia cinco países. Embora a União Europeia participe do Tratado, o Espaço Schengen não é necessariamente seu sinônimo. O Tratado de Schengen é composto por 26 países, a saber: Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Holanda, Itália, Islândia, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Polônia, Portugal, República Tcheca, Suécia, Suíça e em implementação figuram Liechtenstein, Bulgária, Romênia e Chipre.

Porém, não vigora nos seguintes territórios: Helgoland da Alemanha, Svalbard da Noruega (mas vigora na Ilha de Jan Mayen), Groenlândia e Ilhas Faroé da Dinamarca.

Tratado de Schengen - Espanha
Espanha

Circular com segurança

O Tratado de Schengen também visa aplicar um conjunto de regras comuns aplicáveis aos países membros, a harmonização das condições de trânsito turístico, o reforço e a cooperação policial e judicial, de maneira que processos sejam mais rapidamente realizados e a criação de um Sistema de Informação Schengen (SIS), uma base de dados e informações compartilhadas entre os países participantes.

O que é o Tratado de Schengen - Suiça
Suiça

Detalhes importantes do Tratado de Schengen

O acordo impossibilita o ingresso em algum país Europeu que assinou o Tratado de Schengen se no momento do embarque o passaporte não tiver validade mínima de quatro meses, considerando que o limite máximo de permanência sem exigência de visto é de três meses e torna obrigatória a contratação de um Seguro Viagem cujo valor mínimo é de 30.000 euros.

Apesar do investimento adicional, a contratação desse tipo de seguro pode tornar menos traumáticas desventuras e incidentes que podem surgir durante a viagem, como urgências, hospitalização, extravio de bagagem, sobretudo para o turista que não é familiarizado com o idioma de seu país destino, uma vez que esse tipo de seguro conta com a assistência 24 horas realizada no idioma de seu contratante.

Tal política, num primeiro momento, focava os moradores dos países participantes. Contudo, hoje, cidadãos estrangeiros que ingressem como turistas ou que obtenham um visto de longo prazo para qualquer um dos países membros são livres para circular livremente no interior do espaço. Para os turistas de países não filiados, a comprovação de identidade se dá sempre pelo passaporte ou, no caso de longa permanência, o documento legal substitutivo, emitido pelas autoridades de imigração de um dos países signatários.

O que é o Tratado de Schengen - Alemanha
Alemanha

Os Benefícios do Tratado de Schengen

Uma vez que todos os documentos estejam em ordem, o Tratado de Schengen possibilita uma experiência cosmopolita digna de todo turista dotado de wanderlust, vocábulo originário do alemão que expressa o desejo de viajar e que, por não haver fronteiras em tal espaço, parece ter sua sensação agigantada, afinal, nada melhor do que viajar pelo mundo sem encontrar obstáculos.

O Tratado ajudou bastante a vida de nós, viajantes. Compartilhe esta informação com seus amigos e familiares que irão para a Europa, afinal, viajar informado e prevenido é sempre o melhor caminho!

Publicitária, paulista, pós graduada em Negócios e Empreendedorismo. Já fez intercâmbio para a Inglaterra, conhece mais de 30 países e 300 cidades em todo o mundo. É apaixonada por história da arte, música, dança e não dispensa jamais um bom café! No dia a dia aplica o que tem como lema: comunicar que o turismo, juntamente com a arte, tem o poder de transformar as pessoas e mudar o mundo.

13 Comentários

Deixe seu comentário