Coliseu de Roma

Curiosidades do Império Romano para entender e sentir Roma


Descubra Roma com detalhes que farão a diferença na sua viagem.

Roma e rio Tibre
O mundo seria outro sem Roma. E Roma não teria surgido se não fosse o rio Tibre. (Foto: Vinicyus Vieira / Viagem’Grafia)

Há mais de 2000 anos que Roma se mantém como um dos lugares mais importantes do planeta e desde que ela subiu ao palco, nunca mais saiu de cena. 

É uma cidade que grande parte do mundo sonha conhecer e muito disso se deve aos monumentos, construções e histórias do período do Império Romano. Afinal, quem nunca se imaginou no Coliseu?

Mas quem anda pela “cidade eterna” encontra uma mistura de épocas tão grande que é normal fazer um pouco de confusão e não saber exatamente o que veio antes, durante e depois do Império Romano.

Então, esse post é para te ajudar a compreender e sentir as “Romas” que existem dentro dessa cidade tão complexa e, ao mesmo tempo, tão fantástica.

Quem fundou Roma?

Na mitologia romana, um pastor encontrou dois irmãos gêmeos sendo amamentados por uma loba na região que hoje é um dos atrativos da cidade: o Palatino. E é por isso que você encontrará esculturas e até mesmo imagens da loba e dos irmãos espalhadas pela cidade.

Depois que ficaram adultos os irmãos brigaram, Rômulo matou Remo e fundou Roma. Mas essa parte da história já não é mais mitologia. Rômulo foi mesmo o fundador e o primeiro rei de Roma, no ano de 753 a.C.

Estátua da loba amamentando Rômulo e Remo, na Via di S. Pietro in Carcere – uma cópia da peça de bronze que fica no Museu Capitolino (Foto: Vinicyus Vieira / Viagem’Grafia)

De um pequeno reinado para um império

É bem comum acharmos que Rei de Roma é a mesma coisa que Imperador de Roma. Mas não é bem assim. Os reis de Roma vieram 7 séculos antes dos imperadores e fazem parte de fases totalmente diferentes.

O reinado acabou no ano de 509 a.C, quando o senado tirou do poder “Tarquínio, o soberbo” – o sétimo e último rei de Roma (dá para imaginar porque ele foi deposto, não?).

Depois disso, o senado passou a governar e Roma deixou de ser uma pequena monarquia para expandir seus domínios por todo o Mar Mediterrâneo. Foi o período da República, que durou quase 500 anos (de 509 a.C a 27 a.C).

Julio César apareceu somente no fim do período da República e, ao contrário do que muita gente pensa, ele nunca foi imperador e nunca nem viu o Coliseu.

Estátua de Julio César na Via dei Fori Imperiali (Foto: Vinicyus Vieira / Viagem’Grafia)

Julio César foi um grande militar que se tornou ditador de Roma e que por ter ido contra os interesses dos repubicanos mais ricos, acabou sendo assassinado. E a morte de Julio César tem muito a ver com o surgimento do Império Romano. 

Após a morte do ditador, Otaviano (sobrinho e herdeiro de Júlio César) assumiu o poder de Roma, se proclamou Deus na Terra, mudou o próprio nome acrescentando a palavra “Augusto” (que significa divino) e deu início ao Império Romano. 

Otaviano Augusto além de ter sido o primeiro imperador de Roma, foi também o que imperou por mais tempo: 46 anos!

Construções do Império Romano

Em cerca de 500 anos de Império (27 a.C – 476 d.C) , Roma teve quase 100 imperadores. Então, aqui vai uma lista com o que alguns deles fizeram pela cidade em ordem cronológica, além de um mapinha para saber onde essas obras estão.

Mapa de Roma com atrativos do Império Romano
Obras do Império Romano: 1. Coliseu / 2. Mercado de Trajano / 3. Panteão / 4. Castelo Sant’Angelo / 5. Termas de Carcala / 6. Porta Maggiore / 7. Arco de Constantino

1. Coliseu (ano 80 d.C)

Todos o chamamos de Coliseu, mas o nome do principal cartão postal da cidade é Anfiteatro Flavio. Isso porque foi o Imperador Tito Flávio que o inaugurou. No entanto, quase toda a construção foi realizada durante o império de Vespasiano (pai de Tito Flávio) que faleceu um ano antes da inauguração.

Parte interna do Coliseu
O maior postal do Império Romano. Parte interna do Coliseu (Foto: Vinicyus Vieira / Viagem’Grafia)

2. Mercado de Trajano (ano 112 d.C)

Por muito tempo se achou que o Mercado de Trajano fosse um centro comercial – fazendo dele o shopping mais antigo do mundo. Mas hoje, muitos acreditam que o espaço tenha sido usado para os escritórios administrativos do Imperador Trajano.

O Mercado de Trajano em destaque (Foto: Vinicyus Vieira / Viagem’Grafia)

3. Panteão (ano 125 d.C)

O Panteão foi encomendado pelo general Marcus Agrippa, o braço direito do primeiro imperador: Otaviano Augusto. Dois incêndios em Roma destruíram esse templo que foi reconstruído durante o império de Adriano e continua com a mesma estrutura até hoje.

Frente do Panteão de Roma
Na fachada do Panteão está escrito: M.AGRIPPA. L.F. COS. TERTIVM FECIT (Feito por Marcus Agrippa, filho de Lucio, quando foi cônsul pela terceira vez) (Foto: Vinicyus Vieira / Viagem’Grafia)

4. Castelo Sant’Angelo (ano 135 d.C)

O imperador Adriano começou a construção do Castelo Sant’Angelo para ser o local de seu sepultamento. Adriano estava muito doente e faleceu antes da conclusão do mausoléu, mas ainda assim ele foi enterrado ali. A conclusão do Castelo aconteceu um ano depois da morte de Adriano, com o imperador Antonino.

O Castelo de Sant’Angelo ao lado do Rio Tibre (Foto: Vinicyus Vieira / Viagem’Grafia)

5. Termas de Caracala (ano 217 d.C)

As termas de Caracala, são menos conhecidas e começaram a ser construídas pelo imperador Sétimo Severo, mas foram concluídas pelo filho dele, o imperador Caracala. Era um espaço de banho público com capacidade para até 8 mil pessoas.

6. Porta Maggiore (ano 274 d.C)

Roma era cercada por uma grande muralha e o imperador Aureliano aproveitou a estrutura de um aqueduto da cidade para construir um portão de saída para duas importantes estradas romanas. Nos dias de hoje, a Porta Maggiore é o trecho mais bem conservado de toda a antiga muralha.

7. Arco de Constantino (ano 315 d.C)

Ao lado do Coliseu, este Arco foi construído a mando do senado de Roma, para homenagear as vitórias do Imperador Constantino – o primeiro imperador a se converter ao cristianismo.

Sob Arco de Constantino ficava a Via Triunfal: o caminho por onde generais vitoriosos do Império Romano passavam ao retornarem de batalhas. (Foto: Vinicyus Vieira / Viagem’Grafia)

É provável que nessa lista você tenha sentido falta do Foro Romano, do Circo Máximo e do Palatino. Mas esses importantes lugares não foram exclusivos do Império Romano e também fizeram parte das outras duas fases da Roma Antiga: Monarquia e República.

E você sabia que grande parte dos imperadores não nasceu onde hoje é a cidade de Roma? No mapa-mundi atual, os imperadores Adriano e Trajano seriam espanhóis, Caracala seria francês enquanto que Constantino e Aureliano seriam sérvios. Curioso, não?   

Em Roma, como os romanos 

Todas essas informações sobre Roma, com certeza vão te ajudar a enxergar a cidade com olhos mais atentos. Mas para sua experiência ser ainda mais intensa, aqui vão outras sugestões para sentir a alma da cidade. E a ideia se resume num ditado popular: Quando estiver em Roma, faça como os romanos.

Adelina Guesthouse

Exatamente em frente à Porta Maggiore (do Imperador Aureliano) e a 5 minutos a pé da igreja mais antiga de Roma (Basílica de São João de Latrão) encontrei a impecável Adelina Guesthouse.

Um dos quartos da Adelina Guesthouse

A Adelina é uma hospedagem bem exclusiva, com 6 quartos espaçosos extremamente bem cuidados e decorados. Mas além do conforto, da ótima localização, do café servido no quarto e do ambiente extremamente agradável, o que chamou minha atenção lá é que fui tratado como se fosse um grande amigo dos donos: o simpático casal de romanos Maria e Stefano.

Maria sugeriu que eu andasse pela cidade ouvindo Roma Capoccia, uma música dos anos 70 que se transformou numa espécie de hino da cidade e que todo romano sabe a letra de cor. Já Stefano sugeriu que eu experimentasse um bolinho recheado de queijo e risoto que é típico de Roma: o Suppli.

Comi muitos suppli, ouvi Roma Capoccia dezenas de vezes, andei quilômetros pela cidade e apresentando coisas novas para diferentes sentidos … a cidade se tornou ainda mais memorável para mim.

E como Roma não é apenas uma cidade para ser compreendida, mas também para ser sentida, com todas essas informações você poderá juntar a Roma dos Imperadores com a Roma dos nossos tempos numa única experiência. E nisso, a Adelina Guesthouse, com certeza, sabe como ajudar.

Quer saber sobre outras curiosidades e histórias de Roma?

Veja também sobre a incrível Capela Sistina e a Fontana di Trevi 

***

Vinicyus Vieira é consultor hoteleiro e jornalista de viagem. Adora estudar cidades, caçar curiosidades culturais, conhecer bons serviços de turismo e compartilhar tudo isso com fotografias e textos.

Deixe seu comentário

2 pensamentos em “Curiosidades do Império Romano para entender e sentir Roma”