Movimentos culturais em São Francisco Califórnia

são francisco california
Andando de bondinho em São Francisco Foto: Camila Castanheira

A décima terceira cidade mais populosa dos Estados Unidos e a décima oitava cidade mais rica do mundo é também o berço de diversos movimentos culturais que influenciaram gerações. Estou falando a minha amada e única São Francisco Califórnia.

Essa super fantástica metrópole, é uma referência no mundo quando o assunto é arte. SanFran eternizou discos, filmes e séries de TV que já fazem parte do nosso imaginário pop. É um destino ímpar que nos apresenta uma bagagem cultural e social impressionante.

são francisco california
Pela Market Street bandeiras representando a comunidade LGBT Foto: Camila Castanheira

A história da cidade é uma mistura de colonialismo espanhol e romantismo americano. Aqui você encontrará todo o calor latino com uma pitada do charme clássico estadunidense. Não tem como não se apaixonar. Ou como diria o escritor William Saroyan:

“Se você está vivo, não poderá jamais se sentir entediado em São Francisco. Se você não estiver vivo, São Francisco irá lhe trazer de volta à vida.”

Movimentos culturais de São Francisco Califórnia

SanFran é conhecida por dois grandes movimentos culturais: o movimento Hippie e os grupos em defesa dos direitos da comunidade LGBTQ+. Em ambos os casos, a cidade serviu de inspiração para a liberdade de expressão e o engajamento social.

Além destes dois movimentos, existem muitos outros que se destacaram. Se você como eu ama literatura, saiba que muitos escritores do movimento Beat, liderado por Jack Kerouac, viveram na cidade.

São Francisco também é muito presente na obra de Allen Ginsburg, Philip K. Dick (autor de Blade Runner), Úrsula Le Guin e Danielle Steel.

são francisco california
Olha que legal a faixa de pedestre de Castro Foto: Camila Castanheira

Veja também: O que fazer em São Francisco

Diante desta variedade cultural, pelo menos dois bairros fazem parte da história pop dos Estados Unidos e valem a visita durante a viagem. Vamos a eles:

Haight-Ashbury em São Francisco Califórnia

Nas esquinas das ruas Haight e Ashbury fica o mais icônico bairro da cidade: o Haight-Ashbury . Já nos anos 60 a região foi escolhida por artistas, escritores e músicos como moradia.

O clima aqui é outro. Ruas largas, músicos pelas ruas e muita liberdade intelectual. Para passear por Haight-Ashbury é preciso manter a mente e o coração abertos. Não é incomum um guitarrista solitário ensaiar pelas ruas, ou jovens declamarem poesia em alguma roda de amigos. Estamos falando no lugar onde nasceu o conceito Hippie.

Foi por aqui também que se iniciou o movimento de contracultura americana, ligada aos já conhecidos escritores Beats e aos jovens de pensamento transgressor. Este novo modo de pensar pregava o amor livre, a liberdade artística e a harmonia entre o ser humano e a natureza.

são francisco california
Pelas ruas do bairro vale muito um passeio por lá Foto: Camila Castanheira

No final dos anos 60 a região de Haight-Ashbury se tornou um verdadeiro caldeirão cultural. Daqui despontaram vários nomes das artes, em especial da psicodelia e do rock, como Janis Joplin, Grateful Dead e Jefferson Airplane. Muitas canções homenagearam São Francisco. A mais famosa dela, San Francisco, de Scott McKenzie, se tornou um verdadeiro hino da cidade:

“If you’re going to San Francisco

Be sure to wear some flowers in your hair

If you’re going to San Francisco

You’re gonna meet some gentle people there”

Adoro esta música e ela foi a inspiração para nosso vídeo. Veja aqui como foi o meu tour por este bairro e muitos outros:

Não demorou muito a fama do bairro se espalhar pelo mundo e a região se tornar uma verdadeira Meca para os apaixonados por rock progressivo, paz e amor. Hoje o bairro de Haight-Ashbury ainda preserva vários cafés e restaurantes tradicionais. O lugar é conhecido ainda por suas livrarias e agitada vida cultural. Estive lá nesta minha última viagem e conheci alguns pontos que valem a visita.

Alguns pontos imperdíveis de Haight-Ashbury

Na rua Haight Street, 1855, fica a Amoeba, uma peculiar loja de discos que faz parte da história da música americana. Se você se amarra num vinil prepare-se. A coleção é gigantesca. Tem de tudo, inclusive vários itens raros. Eu queria levar a loja inteira para casa.

Não longe dali fica a loja Decades Of Fashion. O próprio nome já diz, são roupas de diversas décadas espalhadas num ambiente de encher os olhos. A mistura de loja de grife e brechó atrai amantes da moda do mundo todo em busca de peças exclusivas. Muitos diretores de arte de cinema e figurinistas renomados pintam por lá. Vale a visita.

Na Lyon Street, 112, fica a casa onde viveu Janis Joplin. Não é raro encontrar algum cover dela ou músicos cantando suas canções na calçada em frente. Aproveite e repare nas casas ao redor, quase todas em estilo vitoriano. Construídas em meados do século XIX, foram quase todas destruídas pelo terremoto de 1906, o pior a atingir a cidade. Hoje a região de Haight é onde estão as construções mais bem-preservadas de São Francisco.

são francisco california
Na loja de deisco mais incrível: Amoeba Foto: Camila Castanheira

Outro ponto imperdível é o Golden Gate Park, nos limites finais do bairro. O estilo de Haight-Ashbury não se estende ao parque, mas vale super esticar e já passar por ali . Além da paisagem natural exuberante, o parque possui várias atrações culturais maravilhosas. É lá que fica o Museu de Ciência Natural de São Francisco, com uma coleção enorme de plantas e animais. Além disso vale muito conhecer o Museu De Young, com uma ótima exposição de arte pré-colombiana, e o delicado Jardim Japonês.

sao francisco california
Apreciando arte no Young Museum Foto: Camila Castanheira

Castro

Castro é considerado o maior bairro da cultura LGBTQ+ do mundo. Muito além de bares e boates voltados ao público LGBT, a região é referência na luta por respeito e igualdade de direitos da comunidade.

Ninguém sabe ao certo como a tradição LGBT de Castro começou, mas há uma história que chama a atenção:

Conta-se que logo depois da Segunda Guerra Mundial, os soldados americanos acusados de serem homossexuais eram enviados para esta região de São Francisco Califórnia onde haviam vários centros psiquiátricos (vale lembrar que nesta época ser gay era sinônimo de doença mental). Os que eram dispensados do serviço acabavam ficando por ali, por medo da hostilidade dos familiares. Desta forma Castro foi se tornando um lugar seguro e ganhando respeito dentro da sociedade americana e dentro da comunidade LGBTQ+.

Foi nesta região onde Harvey Milk, considerado um dos maiores ativistas LGTB dos Estados Unidos, se tornou o primeiro homem assumidamente gay a ocupar um cargo político nos EUA. Milk foi assassinado em 1978, mesmo ano em que a bandeira LGBT foi usada pela primeira vez num protesto e se tornou num ícone, símbolo da comunidade gay de São Francisco.

castro em sao franscisco california
Ruas fofinhas de Castro Foto: Camila Castanheira

Alguns bares famosos de Castro

Atualmente Castro é um bairro vibrante, cheio de ótimos estabelecimentos culturais e dono de alguns de ótimos bares da cidade. Se você se sentir disposto a tomar um gim com tônica no café da manhã ninguém vai te julgar.

O Twin Peaks Tavern é considerado o mais antigo bar gay do bairro, mas como a maioria dos estabelecimentos, é aberto para todos. O Martini daqui é famoso – não deixe de provar.

Já o Hi Tops é um dos mais divertidos da região. A proposta aqui é roupa de academia e música dos anos 80 e 90. Não se assuste se encontrar os atendentes só de shorts e arrasando na coreografia. O bom humor é acompanhado pelos hambúrgueres mais disputados de todo o Castro.

Outra dica é bater perna pela famosa 16th Street, que já serviu de cenário para vários filmes e séries de TV, e onde ficam os melhores bares e lojas de Castro. Siga para a Castro Street, a principal rua do bairro, e visite o belíssimo Teatro Castro, erguido em 1920 e um dos poucos desta época ainda em funcionamento nos EUA.

castro em são francisco
Passe uma tarde ou uma noite em Castro Foto: Camila Castanheira

Os cenários mais famosos de São Francisco Califórnia no cinema

A primeira coisa que passa pela cabeça de quem visita São Francisco Califórnia pela primeira vez é: eu já vi essa rua em algum filme. Não é por acaso. A cidade é uma das mais filmadas da história e já foi cenário de vários filmes clássicos. Diversas agências locais oferecem passeios através das locações mais famosas. Mas tenho alguns lugares favoritos:

O parque Marina Green Triangle, defronte para a ilha de Alcatraz, já foi cenário para diversos filmes. O panorama da baia de São Francisco é deslumbrante. Aqui foram rodadas várias cenas de Blue Jasmine (2013), de Wood Allen, que rendeu um Oscar de melhor atriz para Cate Blanchett. Outro cenário que aparece no filme é o clássico bar Aub Zam Zam, na Haight Street.

Em Castro foi filmado Milk (2008), vencedor do Oscar de melhor ator para Sean Penn. O bairro todo é um grande set. Já no número 2640, na Steiner Street, fica a casa usada como locação para o clássico da Sessão da Tarde, Uma babá quase perfeita.

E não podemos esquecer de Um corpo que cai (1958), de Alfred Hitchcock, quase inteiramente filmado em São Francisco. A cidade é como um personagem do filme do mestre do suspense. Há até um roteiro com os principais lugares que aparecem no filme.

O centro da cidade também serviu de cenário para diversas séries de TV. As mais famosas são Looking (2014) Girlboss (2017) e O homem do castelo alto (2015).

Sâo Francisco California
As ruas de SanFran são cheias de histórias dentro do cinema mundial

E aí, gostou de saber mais dos movimentos culturais de São Francisco Califórnia? Não é a toa que esta cidade encanta gente do mundo todo por seu respeito a liberdade de expressão. Em São Francisco você é quem você deseja ser!

Tem mais um monte de textos no blog falando sobre a cidade. Veja aqui e divirta-se em SanFran!

Veja também um tour diferente, pertinho de São Francisco

Publicitária, paulista, pós graduada em Negócios e Empreendedorismo. Já fez intercâmbio para a Inglaterra, conhece mais de 30 países e 300 cidades em todo o mundo. É apaixonada por história da arte, música, dança e não dispensa jamais um bom café! No dia a dia aplica o que tem como lema: comunicar que o turismo, juntamente com a arte, tem o poder de transformar as pessoas e mudar o mundo.

Deixe seu comentário